sábado, 20 de dezembro de 2008

espelho

Me olho e me vejo
sem um tanto de
ingenuidade e
simplicidade
genuinamente minhas.

Não olho, mas vejo
um tanto de tristeza
e desencanto
não sei de quem.

Só reconheço
algumas partes de mim
as outras permanecem
estranhas.

2 comentários:

Jéssica V. Amâncio disse...

ahh, quanto mais pensamos que estamos nos conhecendo, mais nos revelamos puro mistério.=]

Fernanda Alves disse...

tudo é tão incerto..
a vida é incerta...
a unica certeza que podemos ter é que vivemos em metamorfose.e como já diz raul seixas:
´´E preciso ser essa metamorfose ambulante``=)
diariamente descobrimos novas coisas sobre nós mesmos=)