segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

tempo

Houve um tempo em que o auge da felicidade era encontrar o mais novo esconderijo das guloseimas proibidas.

Houve um tempo em o auge da felicidade eram olhares cruzados cheios das mais pueris ilusões, mesmo assim perfeitas.

E há o agora, onde me pego pensando no futuro e no que hei de considerar ter sido o auge da felicidade.

2 comentários:

Menino-Homem disse...

saudades de tu... e aqui tem paz!

_Santiago disse...

isso se chama crescer?
mas Ana,
eu ainda sonho com guloseimas!!
Ou God, meu relógio é problemático!

^^