terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

(f)calar
as pessoas parecem não saber certas vezes que aquilo que se diz, nunca volta ao minuto anterior ao não dito, é pra sempre. e se as palavras são daquelas que magoam, é inevitável. e se depois você voltar a si e ver que não era nada daquilo que queria dizer, já foi. que diante da cena de hoje, meu Deus, eu perceba antes de dizer algo com essas intenções que vale a pena lembrar que nós também não queremos ouvir tudo, e certas palavras também nos ferem. é melhor escolher o silêncio eu penso, vez em quando; porque a nossa raiva pode ser bem mais passageira do que a mágoa daqueles que amamos. e o nosso arrependimento pode não ter fim.

3 comentários:

_Thiago disse...

acabei de reler esse texto,

http://ideiasdeana.blogspot.com/2008/12/toda-mulher-meio-tati-bernadi.html,

estava procurando!

_Thiago disse...

a gente se arrepende de tudo. eu me arrependo do silêncio tbm, em oposição ao arrependimento descrito no texto.
é muito difícil medir tudo o que se fala.
por isso precisamos de compreensão, quando somos ouvintes.
por mais doloroso que isso seja.
bjos!

Ana Aitak disse...

exatamente, o arrependimento não escolhe tempo nem motivo rs. E a gente fala um pouco do que tá no coração num momento e felizmente depois já pode nem existir...

bjus e obrigada pelo carinho de sempre