quarta-feira, 30 de março de 2011

"Mariar"

Nem causador de tantas contribuições às discussões sociais ou aos fins dos preconceitos assim, quanto sugere o apresentador, nem tão dispensável quanto julgamos mesmo que sempre que podemos, demos uma espiadinha. O fato é que a vitória de Maria, me emocionou. Bial disse bem da surpresa. Ninguém ousaria pensar. Estamos mais acostumados a nossa vaidade, a subestimar, a rotular, a pré-conceituar, a desacreditar. Acho que porque o verbo"mariar" está imbuído de toda a essência feminina com os estigmas de sempre, incapacidade, indignidade, enfim subestimação. Para mim "mariar" é ser mulher, é ser humano antes disso. Não que "ela" agora seja um ícone feminista de superação, mas inspira a gente a pensar além do gênero, pensar com humanidade, e olhar com compaixão, paixão pra quem é igual a gente, humano, imperfeitamente humano, mas encantadoramente especial, homem ou mulher, feio ou bonito, inteligente ou nem tanto. Clichê, mas seria bom se fosse verdade, se acontecesse mais disso na vida real...

à propósito ou despropósito: "...seja você mesmo, porque ou somos nós mesmos ou não somos coisa nenhuma. E para ser si mesmo é preciso um trabalho de mouro e uma vigilância incessante na defesa, porque tudo conspira para que sejamos meros números, carneiros de vários rebanhos- os rebanhos políticos, religiosos ou estéticos. Há no mundo ódio à exceção- e ser si mesmo é ser exceção. Ser exceção e defendê-la contra todos os assaltos da uniformização: isto me parece a grande coisa."


Monteiro Lobato


Bom, se eu "mariei", releva, que trata-se apenas de mais uma teoria pessoal totalmente insignificante pós final de BBB. E não to ganhando um real por isso que dirá uma milhão e meio! ha ha ha ;)

Um comentário:

_Thiago disse...

Gostei da vitória da Maria, apesar de preferir a Paula.
Sim, vc mariou.
Mas no sentido que vc definiu no texto principal!
Amei a citação do Monteiro Lobato. Não conheço qse nada dele. Me surpreendeu.
Um bjo!