sexta-feira, 10 de outubro de 2008

des+conexo

(Não procurem coerência nesse texto, foi saindo da potinhas dos dedos desse jeito, não dá pra registrar os pensamentos acompanhando o ritmo deles, penso eu.)
As pessoas não entendem meu senso de humor, e eu não entendo o mau-humor delas. Tá certo que a recíproca é bem verdadeira ultimamente. Quem aguenta essas risadas? Esses assuntos desinteressantes? Esse convivência inssossa e irônica, politicamente correta. Eu não sei o que há.
Eu, uma pessoa avessa aos excessos e extremos, chegar a esse ponto, o mundo está virado mesmo. Esse é o momento apropriado pra usar uma frase de que gosto muito "Parem o mundo que eu quero descer", que eu jurava era um ditado popular e descobri que é atribuída a um comediante estrangeiro (depois escrevo aqui). Mas enfim, já vi que não posso desistir dessa viagem, eu jamais desistiria de mim, imagina! Agora que consegui um lugar na janela, agora que já tem até com quem conversar, agora que ainda o melhor estar por vir, porque sempre está, mas eu estou gostando desde o início; e esse desconforto? Faz parte de toda e qualquer viagem maravilhosa que fazemos. Continuo, maravilhada e agradecida por ser eu quem está vendo, ouvindo e sentido tudo nesse caminho. E tenho dito.

Um comentário:

Guilherme disse...

Ahh! A gratidão de quem se é...
O aceitar nos transforma pela compreensão..
E o compreender nos liberta de tantas amarras, de tantas ansiedades, de tantos grandes medos (pequenos medos sempre nos restam..), de tantas PRÉ-ocupações.

Esse dia-a-dia insosso que vivemos. Essa mesmice repetitiva sem nos levar a lugar-nenhum acaba se tornando sutilmente interessante. A espera por algo que nos mude, que aconteça e nos dê rumo, tem lugar ao saborear dos pequenos momentos.

Que saibamos aproveitar a paisagem da viagem que trilhamos, e não tão somente esperarmos pelo lugar a chegar.

O desconforto estará sempre presente porque nós não somos um fim em nós mesmos. Somos estações de passagem. Somos uma escada. E não conseguiremos nunca ficarmos no meio da escada, sem ficarmos em conflito. Ou se sobe, ou se desce.

Sempre existirá um algo mais, um além, um porvir..
.. uma necessidade de crescer, de ver além.. de compreender.

.. de se libertar!
.. das mesmices, dos dias comuns, das pessoas vazias, das ocupações que nos consomem..

Acho que meu texto é iguamente des+conexo ..
Conexão com algo além, bom demais!

.. e por isso, faço a você companhia! E é o que eu mais quero..