quinta-feira, 15 de março de 2012

(r) existir

Quem não nos sujeita,
quem não nos contém;
não suporta a derrota
de não aprisionar ninguém

e vai soltando farpas,
lascas de desdém;
vai oco, louco,
mas sem um vintém

da liberdade rara,
dessa alma clara
que só a gente tem.

[escrito dia 07 de março, mas publicado hoje, porque veio a calhar]

2 comentários:

Guilherme disse...

Poesia! \o/

Ana Aitak disse...

ou um arremedo, mas aqui vale :)