segunda-feira, 1 de novembro de 2010

como seria bom se assim fosse

Autoanálise

As pessoas se bastam, eu não. Preciso de cada um e de todos. As pessoas se deixam, eu não. Carrego no peito cada ser amoroso. Sei como amar alguém, mas não como deixar de amá-lo. Dizer ao coração a esse apague, àquele esqueça em mim é vão. O insensato músculo não ouve e ininterruptamente bate. Por isso, não pense alguém poder um dia me perder. Ninguém me perde enfim, só eu me perco de mim.

2 comentários:

_Thiago disse...

O que você acha?
AMEI!

Amneres disse...

Amei ver meu poema navegando em teu blog. Beijo grande e gratíssima,

Amneres