segunda-feira, 16 de maio de 2011

rumar

Não consigo perceber,
mas a razão diz,
há um bom sentido
em não se entender

Ó vida! Que queres dizer-me
com essa incerteza do humor,
desamor?
Sou feliz ou não sou?

O segredo é este?
Mergulhar na vontade,
estar mais certa que antes,
segurar fragilidades...será?
Pensar, sorrir, amar...

Ah! o mar...ainda bem,
sou capaz de mudar o prumo
noutro rumo,
de repente...

2 comentários:

Giovanna disse...

adorei o poema
amei seu blog, já estou seguindo
beijos
likehappydream.blogspot.com

Guilherme disse...

.. deliciosos versos que escorregam fácil na alma, digeridos pelo coração que ainda não sabe qual rumo tomou.

Sua presença na minha Ilha é sempre bem-vinda. Gosto muito quando passas por lá.

Beijos e carinho.. :)