quarta-feira, 29 de setembro de 2010

da falta

"Eu te agradeço por esse afastamento lento e gradual e pela viagem interrompida por seus perpétuos atrasos causados pelo medo de tirar os pés do chão. Agora, a cada dia eu preciso de uma roupa nova desde que minhas malas foram extraviadas para sempre com todo o nosso excesso de bagagem. Eu te agradeço pela honestidade da sua omissão tão previsível que sempre confundi com meus presságios. Essa ida sem despedida que você covardeou: eu finjo que não sei, você finge que não foi. E a gente segue inventando que ainda se interessa pelo que começamos a construir juntos, num outro contexto, pra realçar nossos vínculos. Eu te agradeço a descoberta de que se não seguimos juntos nessas coisas do amor, seja porque talvez
eu, veterana
enquanto
você ama-dor".

Marla de Queiroz
via A ilha de um homem só , que diz também do que é muito mais bonito, o amor suficiente.

Um comentário:

Guilherme disse...

Você fique sempre a vontade para colher o que ressoar na tua Alma, lá dentro do meu canto.
E agradecido imenso pelas palavras. :)